Às vezes

Às vezes eu queria um pouco de silêncio, não a ausência do barulho cotidiano porque desse eu consigo me livrar facilmente. Alguns quilômetros, ou quem sabe fones. Os ruídos externos não são o problema, o que perturba são os ecos na alma. Em algumas ocasiões a minha própria voz, em outras. Outras.

Reverberações do que eu disse, ou até mesmo do que deixei de dizer. Coisas que me disseram ou que eu gostaria tanto de ouvir. Flamulam minhas vestes quando passam como trens apressados, rentes ao meu corpo. Ecoando. Ao invés do chiado do vapor, que escapa após impulsionar o motor, um sussurro. No lugar da estridente sirene, um grito, às vezes alegre às vezes aflito. Às vezes nem sei.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s